Para ampliar cadeia produtiva, Governo vai moldar suinocultura em regras similares ao Precoce MS
Segunda-feira, 02 de Setembro de 2019 |

Declarações são do Salão Internacional de avicultura e Suinocultura (Siavs), na última semana de agosto, em São Paulo.

Seguindo a cadência de ações que o Estado vem impetrando para fomentar o setor produtivo da suinocultura em Mato Grosso do Sul, o Governo deve publicar um decreto que vai enquadrar a criação de porcos dentro do desenvolvimento sustentável, com regras similares o rito de outras produções sul-mato-grossenses que já comungam nesta linha, como a do programa Precoce MS.

Esta ação do Governo foi um dos atrativos que o Estado levou para mesa de negociação com potenciais investidores, no último Salão Internacional de avicultura e Suinocultura (Siavs), na última semana de agosto, em São Paulo.

O resultado desta conta: R$ 600 milhões de investimentos para a cadeira produtiva. Neste segundo semestre uma esmagadora de milho e um frigorífico devem começar a depositar seus empreendimentos em solo sul-mato-grossense. 

“O desafio do campo hoje é trabalhar de forma limpa e sustentável, e é justamente nesta linha que os programas do Governo do Estado vem atuando. Nós queremos trabalhar de forma sustentável e levar isso cada vez mais para larga escala, de forma que a gente consiga atingir a expansão destes nichos de mercado”, explicou o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

A pretensão também é romper as fronteiras e abastecer o mercado internacional com itens dentro do escopo da sustentabilidade e orgânicos. “Você tem um consumidor para produtos sustentáveis, um consumidor para produtos orgânico que está disposto a pagar a diferença e você também tem um consumidor para produtos de qualidade”, pontuou.

Um dos mercados visados pelo Governo é o asiático que tem índices de crescimento de 4% ao ano; considerando a média dos países como Índia, Indonésia, países árabes e a gigante China.

Modelo

O Estado já tem alguns mecanismos que funcionam muito bem e já conquistaram este mercado, sendo hoje, especificamente no caso de carne bovina, considerada a de melhor qualidade deste produto. Esta aptidão está relacionada diretamente aos programas de sustentabilidade e produção de forma limpa que o Estado aplicou.

O programa Precoce MS visa gerar melhoria de produtividade e qualidade da carne com níveis de acabamento de carcaça adequado, num abate do animal mais novo que permite alcançar esse selo de produto Premium. 

A regra é para todo o produtor que queira participar de qualquer programa de incentivo do Governo do ele tem que seguir o rito das boas práticas definidas pela Embrapa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Existe uma remuneração adicional por animal para o produtor. Esse sistema é totalmente controlado desde o lote até o abate no frigorífico. O objetivo destes programas é aumentar o número de animais inseridos neste modelo. “Hoje o produtor consegue conciliar produção e sustentabilidade, graças aos investimentos em ciência e tecnologia, gerando bons resultados e desmistificando a questão de que a produção causa danos ambientais”, defende o governador Reinaldo Azambuja.

Além da sustentabilidade, os padrões exigidos nestes planos do Governo garantem mais qualidade no produto e gera trabalho e renda para Mato Grosso do Sul, já que é quesito que a desossa seja feita aqui. “Não abrimos mão desta regra porque queremos também fomentar emprego para a população do Estado”, expilou Verruck.

Beatricce Bruno – Subsecretaria de Comunicação – Subcom
Foto: Chico Ribeiro/Divulgação

  • 05 Dec 2019

    Encerramento do Curso QT Rural conta com a presença do Vice-Presidente da Aurora Alimentos, Sr. Neivor Canton

    Leia mais
  • 29 Nov 2019

    Equipe da Aurora acompanha auditoria nas granjas

    Leia mais
  • 27 Nov 2019

    Bovinocultores se reúnem no Programa Somar e Prosperar

    Leia mais
  • 29 Oct 2019

    "Outubro Rosa - Se conheça, se ame e se cuide!" foi tema de palestra promovida pela COOASGO

    Leia mais

Ver outras notícias