Com negócios parados por fretes, setor de insumos busca alternativas
Terça-feira, 14 de Agosto de 2018 |

Os agricultores não estão comercializando antecipadamente, o que impede a negociação via barter...

As incertezas quanto aos custos com fretes preocupam produtores e distribuidores de insumos agrícolas no país, que manifestaram nesta segunda-feira receios em relação às tradicionais operações de trocas (barter) e já buscam soluções diversas para driblar a logística mais cara.

A gigante Syngenta, uma das líderes do setor de sementes e agroquímicos no Brasil, vê a paralisia nas vendas antecipadas de grãos, com o tabelamento dos fretes rodoviários, como um empecilho à entrega de insumos necessários ao cultivo da temporada 2018/19.

“O principal impacto é que travou a comercialização, não tem preço, não tem negociação de barter. Isso nos preocupa bastante”, afirmou à Reuters o diretor regional de América Latina da Syngenta, Valdemar Fischer, referindo-se às operações de trocas de insumos por produtos agrícolas, nas quais agricultores fixam vendas de parte de sua produção futura.

Conforme ele, para a soja, cujo plantio se inicia no próximo mês, a situação é mais confortável, já que produtores fizeram boa parte das negociações antes de maio, quando estouraram os protestos de caminhoneiros que resultaram posteriormente no tabelamento de fretes, criticado hoje por encarecer custos e dificultar o fechamento de vendas referentes à nova safra.

“(Mas) para a safrinha (de milho), não tem nada ainda. Já era para ter semente comercializada”, destacou Fischer, no intervalo de evento promovido pela Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav), em São Paulo.

Sem referências de preços de frete, os agricultores não estão comercializando antecipadamente, o que impede a negociação via barter com companhias de agroquímicos, sementes e fertilizantes.

Fischer disse crer em uma solução para o impasse dos fretes ainda em agosto, tendo em vista que o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), buscará um consenso entre as partes envolvidas.

ADAPTAÇÃO

O encarecimento dos fretes levou os produtores e distribuidores de insumos a se adaptarem para garantir o funcionamento da atividade no Brasil. Assim, embora não se vislumbre falta de produtos, espera-se um custo maior....

Para ler na integra acesse: https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1KY27C-OBRBS

Fonte: Reuters / José Roberto Gomes

  • 17 Sep 2018

    Evento Tour DSM de confinamento em parceria com a COOASGO, conta com a presença de mais de 200 pessoas

    Leia mais
  • 13 Sep 2018

    CNA defende suspensão das multas do frete

    Leia mais
  • 12 Sep 2018

    Brasil conclui segunda maior safra de grãos: 228,3 milhões de toneladas

    Leia mais
  • 11 Sep 2018

    Novas lideranças da Bayer no Brasil

    Leia mais

Ver outras notícias